SONETO DA APATIA

E aqui estou novamente
Insistindo nessa teimosia:
Tentando desesperado
Achar poesia.

Nos dias que se seguiram
Tentei mais do que podia
Achar algo que curasse
Essa apatia.

E gasto mais de uma pena;
E por mais que eu esprema
Minha alma nada encontra.

Sim, por mais que eu esprema
Não encontro sequer um tema
Nada meu espírito canta.

DE VALOR

Valores? Quem precisa?
Se nem se sabe o que vale mais?
Não dar valor a própria vida,
A de um outro, tanto faz.

Valores valiam mais antigamente.
Hoje perdeu-se todo o valor.
E o respeito, foi devorado.
Só há terror.

‘cabou o amor.
‘cabou o amor.